O Barroco Mineiro

matriz

Vindo pelas mãos dos colonizadores, principalmente portugueses, leigos e religiosos, o estilo Barroco chega ao Brasil no século XVIII. Nesse mesmo século, na cidade de Formiga – Minas Gerais, temos o início da construção da Igreja Matriz São Vicente Férrer, na época, um pequeno arraial.

O pedido de erguimento da Capela São Vicente Férrer foi feito em 11 de março de 1765. Este foi um marco para o surgimento e desenvolvimento do então arraial.
Na data do dia 21 de novembro de 2017, às 20:00, ao avistarmos da praça a Igreja Matriz, nos impressionamos com tamanha beleza e mal tínhamos conta do rico conteúdo histórico que ali iríamos encontrar durante a visita técnica, sobre a orientação do Professor Mestre e Doutor Clésio Barbosa Lemos Júnior.
Entre traços, contornos e afrescos característicos do estilo barroco, a construção é marcada também pela presença das entradas laterais. Possui em sua entrada principal portas almofadadas em madeira maciça e a pia batismal, hoje guardada em um quarto, a presença da pia era no passado um símbolo, que delimitava até onde os não batizados poderiam entrar.
Ao entrarmos na igreja, nos deparamos com o estonteante altar principal, púlpitos, lustres, esculturas em madeira, belíssimas pinturas coloridas e douradas e o coro com um imponente órgão de tubos alemão, hoje tombado pelo Instituto Estadual do Patrimônio Histórico e Artístico.
matriz 1
As paredes da Igreja são largas, de taipa de sopapo e adobe, possuem em torno de 50 a 60 cm de largura, com a presença de peças inteiriças de madeira, ombreiras, vergas de canga de porco levemente arqueadas.
A sacristia da Igreja Matriz S.V.F. é incorporada e traz à construção ares contemporâneos, uma vez que ela está localizada ao fundo da edificação. Marcada por elementos atuais, como o forro de madeira de encaixe macho e fêmea, e por elementos coloniais como as cravilhas, onde se encaixavam as peças de madeira mais antigas e peças de 2 palmos e meio de groço.
As janelas com vãos em ângulos retos limitavam a entrada de luz, desenvolveu-se então a técnica onde realizam aberturas nas paredes com mais 45°, o que permitiu a construção de vãos maiores e com maior entrada de luz, essa técnica foi utilizada nas igrejas e também nas residências, para ampliar a entrada de luz e o campo de visão nas edificações.
Dentre as portas e janelas almofadadas de madeira, percebemos elementos como as aldrabas, peças feitas em ferro para realizar o fechamento das portas, e a presença de taramelas para o fechamento das janelas.
A história da população de Formiga, caminha junto às paredes dessa Igreja. Nos deliciamos e mergulhamos em um passado de arte e história, marcado por intervenções, reformas, erros, acertos e principalmente almas e vidas.

Publicado por

2 comentários em “O Barroco Mineiro

  1. Os Céus parecem conversar conosco sempre de um modo que requer muita fé. 3 décadas atrás a BR354 era minha rota para o sul de Minas e ficou na minha memória um rio perto de Formiga que ao lado da ponte a gente via como que uma pequena e antiga usina hidrelétrica. Hoje volto virtualmente ao local tentando achar na beira da rodovia uma placa que identificava o rio como sendo o Pouso Alegre. E nada de placa. Fiquei confuso. Fiz várias tentativas e mais uma vez nada!. Com os recursos da internet finalmente fui esclarecido. O rio é o Pouso Alegre. Ora, Formiga estava na rota de Pouso Alegre onde eu ia namorar e finalmente realizar o sagrado sacramento do matrimônio…:)

    Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: